quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

CONSCIÊNCIA

Antes de começar este post quero escrever algo só para lembrar temos:

 DOIS ouvidos, DOIS olhos, e apenas UMA boca. Então, vamos observar e ouvir mais e falar menos!

.... que a impossibilitará de entender algumas palavras aqui escrita e terceiro por que os olhos dela estão com a escama dos maus espíritos… 

Como pode ter gente que cuida da vida alheia e esquece-se de cuidar da sua? Tenho repulsa por gente assim… numa rápida pesquisa feita sobre a "fofoca" identifiquei que ela consiste no ato de fazer afirmações não baseadas em fatos concretos, é uma especulação em relação à vida alheia. Hoje acordei ouvindo fofocas e a energia das palavras era tão ruim que terminou por acabar com meu dia. É incrível como tem pessoas que se prestam a falar mal dos outros, fico p.... da vida com isso…
 

 Com a fofoca, pessoas inescrupulosas põem em cheque a reputação de homens ou mulheres. As fofocas contaminam os bons costumes, azedam as relações interpessoais, destroem a eficácia do individuo.

 O pior é quando a pessoa que é a "fofoqueira" tem o telhado de vidro e faz uso da fofoca para tirar o foco dos problemas próprios e assim mirar em outrem, tampando de maneira covarde o problema da qual ela é portadora. Busquei ler alguma coisa que me criasse um escudo contra os fofoqueiros. 

Após muita procura achei um artigo do Gutemberg B. de Macêdo (renomado consultor brasileiro) e coloco aqui para que os seres de bom caráter se protejam da maldita fofoca:

 1. Fale diretamente, e não pelas costas, com as pessoas que você julga despreparadas. Aja com elas de maneira correta e justa. 

2. Não fale sobre seus problemas pessoais com aqueles indivíduos que, de antemão, você sabe, geram dúvida quanto à capacidade de ajudá-lo. É preferível chorar sozinho na privacidade de seu quarto a fazê-lo em público, nos ombros da pessoa errada. . 

3. Quando tiver dúvidas em relação a uma pessoa e seus atos, que o afetem direta ou indiretamente, confronte-a corajosamente, mas em particular. Fazê-lo em público significa expor-se e multiplicar as dúvidas existentes.

 4. Embora seja uma tendência natural, muitas pessoas – sabemos – desejam expressar suas opiniões e versões publicamente. Quando se sentir tentado a fazê-lo, reflita e contenha o ímpeto de se expor desnecessariamente. Diz a sabedoria popular: “Em boca fechada, não entra mosquito”

5. Cuidado para não julgar precipitadamente as pessoas e os fatores que as motivam a agir de modo pouco convencional ou duvidoso. A mesma língua ferina, que critica e envenena as ações de outras pessoas, poderá voltar-se contra si mesmo e deixá-lo em apuros como crítico contumaz e insensato.

 6. .Quando se perceber tentado a dar ouvidos a fofoqueiros, mesmo que por brincadeira ou curiosidade, reaja. Sua atitude não poderá jamais encorajar a prática da fofoca entre seus pares e colaboradores. Lembre-se que a maledicência só serve para corromper os bons costumes. 

7. Preocupe-se e ocupe-se com aquelas coisas que contribuem para o desenvolvimento do seu caráter, de sua carreira de sua vida. A fofoca, certamente, não tem esses atributos. “Mind your own business” (‘cuide do próprio negócio) – ensinavam os puritanos que fizeram a colonização norte-americana. 

 8. Evite o descontrole emocional diante das pessoas com quem você convive. As irritações do dia-a-dia não podem afetar as relações com o mundo. 



“FOFOCA É O MAIS DESPREZÍVEL DOS VÍCIOS, POIS, POR NÃO PODER INFLUENCIAR O ESPÍRITO E O CARÁTER DOS SÁBIOS, RASTEJA COMO UMA SERPENTE VENENOSA E REFUGIA-SE NA ALMA DOS FRACOS, TOLOS E OCIOSOS”. 
FONTE: http://branncca.wordpress.com

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

EVANGELHO NELAS

 COMENTÁRIO DO PADRE ANTONIO APARECIDO PEREIRA - PADRE CIDO

Nossa, que confusão no meio dos discípulos: a mãe de dois banca o pistolão e vai pedir um lugar para os filhos ao lado de Jesus no Reino.

 Os outros discípulos ficam po conta e criticam os dois. e Jesus acaba com a discussão dizendo: “Vós sabeis que os chefes das nações têm poder sobre elas e os grandes as oprimem. Entre vós não deverá ser assim.

 Quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor; quem quiser ser o primeiro, seja vosso servo. 28Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate em favor de muitos”.

 O Cristão é um ser para os outros e não para si mesmo. Em vez de poder, serviço. Muitas de nossas comunidades entram em crise por causa dessa tentação de poder.

 Evangelho nelas!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

MISSA 1º DOMINGO DA QUARESMA 2013 - PARÓQUIA SÃO FRANCISCO DE ASSIS

VOCE É DIZIMISTA?




VENHA FAZER PARTE DESSA FAMÍLIA, SEJA DIZIMISTA! SUA AJUDA É PRECIOSA PARA NOSSA COMUNIDADE

 Informe-se na secretaria 
 Telefone(11) 3768-4308

O dízimo é uma doação regular e proporcional aos rendimentos do fiel, que todo batizado deve assumir. É uma forma concreta que o cristão tem para manifestar a sua fé em Deus e o seu amor ao próximo, pois é por meio dele que a Igreja realiza diversas obras de caridade e assistência aos menos favorecidos. Pelo dízimo, podemos viver as três virtudes mais importantes para todo cristão: a Fé, a Esperança e o Amor-Caridade, que nos levam para mais perto de Deus.

O dízimo é um compromisso. Representa a nossa vontade de colaborar, de verdade, com o projeto divino de felicidade para todos. A palavra “dízimo”, que significa “décima parte”, vem dos 10% que os judeus davam de tudo o que colhiam da terra com o seu trabalho. E também hoje todos são convidados a oferecer, de fato, a décima parte daquilo que ganham, mas não somos obrigados. O importante é entender que o dízimo não é esmola. Deus merece a doação feita com alegria, e jamais nos priva da nossa liberdade. Além disso, o que é doado com alegria faz bem a quem recebe!

Cada pessoa deve definir livremente, sem tristeza nem constrangimento, qual percentual dos seus ganhos irá separar para o dízimo. A Igreja não exige a doação de 10% de tudo o que você ganha; porém, para ser considerado dízimo, é preciso que seja um percentual, isto é, uma porcentagem dos seus ganhos, sendo no mínimo 1%. Se alguém ganhar R$ 1.000,00 e oferecer R$ 10,00, isto ainda pode ser considerado dízimo. Menos do que isso, porém, seria uma oferta.

E a experiência pastoral comprova: aqueles que, confiantes na Providência Divina, optaram pelo dízimo integral, não se arrependeram nem sentiram falta em seus orçamentos. Ao contrário, muitos dizimistas dão o testemunho de que depois que passaram a contribuir com a Igreja e a comunidade dessa maneira, passaram a se sentir especialmente abençoados: Deus não desampara os que nele confiam.
Mas isso não quer dizer que devemos dar o dízimo esperando "ganhar em dobro", nem receber algo em troca, como se pudéssemos negociar ou barganhar com Deus. Aqueles que ensinam tais coisas nada entendem do verdadeiro cristianismo, nem compreendem o contexto bíblico, e menos ainda o significado de partilha, que era tão presente na Igreja primitiva.

A entrega do dízimo normalmente é mensal, porque a maioria das pessoas recebe salário todo mês. Já os que recebem semanalmente podem combinar de entregá-lo uma vez por semana, por exemplo. O importante é saber que o dízimo deve ser entregue na comunidade com a mesma regularidade com que recebemos os nossos ganhos.

Já as ofertas são doações espontâneas, com as quais o fiel também pode e deve participar da vida em comunidade, mas nesse caso não existe regularidade, como no dízimo. - Você pode e deve doar na hora do ofertório, durante as Missas, ou fazer depósitos nas caixas de coleta, mas não se trata de um compromisso fixo assumido com a sua comunidade, e sim de uma manifestação de amor, caridade e confiança.

Cada vez mais católicos se conscientizam da importância do dízimo e das ofertas. É bom encontrar a igreja limpa, bem equipada, tudo funcionando bem... Mas, infelizmente, muitos se esquecem de que, para isso, todos precisam colaborar! Somos a família do Senhor, e cada templo da Igreja é uma casa de todos nós. Contamos com o seu desejo de viver comunidade: aceite o chamado do Pai Eterno e diga sim ao compromisso de levar adiante os trabalhos evangelizadores da sua paróquia. Informe-se sobre como se tornar um dizimista. Faça a sua parte!

“Dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama a quem dá com alegria.” (2Cor 9,7)

_

RIFA DA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE

 COLABOREM!

ESTÁ A VENDA NA SECRETARIA OU COM OS AGENTES DE PASTORAL, NAS SAÍDAS DAS MISSAS, UMA RIFA PARA AJUDAR NAS DESPESAS DA PRÉ JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE, (JMJ/2013),  QUE ACONTECERÁ EM SÃO PAULO EM JULHO/2013
 
 PREMIOS:

  1. UM CARRO ZERO KM 
  2. UMA MOTO
  3. UMA TV DE PLASMA
  4. UM REFRIGERADOR 
  5. UM NOTEBOOK

NÃO PERCAM! NOITE DA PIZZA!!

 
 
 

BENÇÃO DO SANTISSIMO





A partir do mês de fevereiro, todo primeiro domingo de mês, haverá Benção do Santíssimo 

Após a missa das 19h00.

 Traga sua familia!!

COROINHAS DA PARÓQUIA







Essa pastoral tem como objetivo despertar as crianças e os adolecentes para o verdadeiro amor e respeito à Sagrada Eucaristia, levando-os a uma verdadeira espiritualidade em torno das coisas do Pai.

As reuniões acontecem aos sábados às 10h30. 
Incentivem seus filhos e netos para essa importante missão.

NOSSO PADRE

PADRE FLÁVIO
 
 
Aprendi que as palavras de amor perdem o sentido, quando usadas sem critério. E que amigos não são apenas para guardar no fundo do peito, mas para mostrar que são amigos.
Aprendi que certas pessoas vão embora da nossa vida de qualquer maneira, mesmo que desejemos retê-las para sempre.
Aprendi, afinal, que é difícil traçar uma linha entre ser gentil, não ferir as pessoas, e saber lutar pelas coisas em que acredito.
Ó Deus de bondade, que nos destes a Sagrada Família como exemplo, concedei-nos imitar em
nossos lares as suas virtudes para que, unidos pelos laços do amor, possamos chegar um dia às
alegrias da vossa casa. Amém.

Flavio Helington

"ACÓLITOS" DA PAROQUIA SÃO FRANCISCO DE ASSIS


Vinícius e Lucas

Quem é que o acólito acompanha e serve
Em primeiro lugar acompanha e serve o presidente da celebração da missa, que tanto pode ser o bispo como o presbítero; em segundo lugar acompanha e serve o diácono, o ministro extraordinário da comunhão, seminarista ou outras pessoas que precisam de ser ajudadas durante a celebração. Noutras celebrações, acompanha e serve as pessoas responsáveis por essas mesmas celebrações.
Mais do que fazer muitas coisas para achar que se é acólito, é preciso sê-lo na sua essência. Um acólito na sua essência é alguém que tem prazer em servir a liturgia. Um prazer que brota de uma amizade autêntica com Jesus.

Vinícius e Lucas




Vinícius e Lucas
Ninguém pode ser acólito por status, mas sim por vocação. 
Tu foste chamado para o serviço do altar, isso é uma sublime   vocação. 

Um "Acólito" é:


Pontual
Piedoso
Atencioso
Silencioso
Servo, 
Humilde
Responsável 


Obviamente que durante a Santa Missa, o acólito está em oração, pois é o momento mais importante para ele: participar e servir na Santa Missa!


"DEUS ABENÇOE VOCÊS QUE ATENDERAM AO CHAMADO DE JESUS"!

APROVEITEM HOJE (DOMINGO) PARA REZAR O TERÇO CONOSCO! ÀS 18h30 ANTES DA SANTA MISSA DAS 19h00!


   Por que Nossa Senhora insistiu tanto para que rezemos o Terço?
 
A palavra Rosário significa "Coroa de Rosas".
Todas as vezes que dizemos uma Ave-Maria é como se dessemos a Nossa Senhora uma linda rosa; com cada Rosário completo Lhe damos uma coroa de rosas.
O Santo Rosário é considerado uma oração completa, porque traz em síntese toda a história da nossa salvação.
Em todas suas aparições, em Fátima, Nossa Senhora pediu aos três pastorinhos para que rezassem o terço todos os dias. Este pedido de Nossa Senhora confirma o que disseram grandes Santos sobre os benefícios dessa devoção.

Mas, qual a razão dessa insistência? 
A salvação das almas, a conversão dos pecadores e a paz no mundo.
Virtudes, benefícios e méritos do Santo Rosário
 
1)O Rosário eleva-nos insensivelmente ao conhecimento perfeito de Jesus Cristo

2) Purifica nossas almas do pecado
3) Torna-nos vitoriosos sobre todos os nossos inimigos

4) Torna-nos fácil a prática das virtudes

5) Abrasa-nos do amor de Jesus Cristo

6) Enriquece-nos de graças e de méritos

7) Fornece-nos com que pagar nossas dividas para com Deus e para com os homens

8) Enfim, faz-nos obter de Deus toda espécie de graças
 
Por que não começar a rezar o Terço do Santo Rosário hoje mesmo?

"Para bem rezar o Rosário, não há necessidade de gosto, nem de consolação, nem de suspiros, nem de arroubos, nem de lágrimas, nem de aplicação contínua da imaginação. São suficientes a fé pura e a boa intenção".

GRUPO DE ORAÇÃO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

 PARTICIPEM!!
GRUPO DE ORAÇÃO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

TODO SÁBADO
APÓS A MISSA DAS 17h00

"O FILHO DE DEUS SE ENCARNOU, POR OBRA DO ESPÍRITO SANTO. VERDADEIRAMENTE MARIA É MÃE DE DEUS E NOSSA MÃE
 
Página do Face:  Grupo de Oração Imaculado Coração de Maria

NOSSA HISTÓRIA


No ano de 1960, foi construída uma capela na avenida do Contorno, de Nossa Senhora Aparecida, na Vila Lageado, bairro formado por nordestinos, japoneses, portugueses, espanhóis e italianos, operários e comerciantes do CEAGESP.
  Nessa capelinha foi organizado um pequeno catecismo para as crianças. Periodicamente, vinha um padre da Paróquia São José do Jaguaré para celebrar a Santa Missa.
  No dia 18 de Outubro de 1966, Sua Eminência o Cardeal Dom Agnelo Rossi erigiu a nova paróquia de São Francisco de Assis da cidade de São Paulo no Jaguaré e nomeou como primeiro pároco Padre André Mortari. Em 1970, Padre André construiu o novo prédio da paróquia que funciona como Matriz na avenida Gal. Mac Arthur, 1130.
  Dentro do território paroquial existe um convento das Irmãs Franciscanas Missionária de Maria e uma Capela que também é dedicada a São Francisco de Assis. A mesma pertence à família Matarazzo, que na pessoa da condessa Graziela nos cedem o espaço para as missas dominicais, batizados e casamentos.
 
Padres que estiveram com esta comunidade
1. Pe. André Mortari
19/10/1966 a 20/03/1974 (Pároco)

2. Pe. Felipe Conde
20/03/1974 a 03/04/1977 (Vigário paroquial)

3. Pe. Dulcindo Venturini
03/04/1977 a 06/01/1980 (Pároco)

4. Pe. Joseph Valmond Richard
03/02/1980 a 01/01/1984 (Pároco)

5. Pe. José Ivan Silva
01/01/1984 a 03/03/1991 (Pároco)

6. Pe. Luiz Geraldo Palácios
03/03/1991 a 08/01/2002 (Pároco)

7. Pe. Celso de Souza Guedes
08/01/2002 a 05/10/2003 (Pároco)

8. Pe. José Oliveira dos Santos
05/10/2003 a 31/12/2011 (Pároco)

9. Pe. Flávio Heliton da Silva (atual)
 

Pe. Flávio e Diácono André está conosco desde 2011 quando era vigário do Pe. José Oliveira e atualmente esta a frente desta Paróquia e agora também conta com a colaboração  dos seminaristas Rafael e Eduardo


 

Quanto ganha o Bispo?

Recentemente, apareceram na imprensa várias matérias e reflexões sobre o dinheiro recolhido pelas Igrejas no Brasil. São números que impressionam, se forem olhados sem o devido discernimento. Os valores globais divulgados e que teriam sido recolhidos “em nome de Igrejas” ao longo de um ano também incluem os da Igreja Católica; mas não aparecem discriminados e não se especificou o que se refere a cada grupo religioso em particular, o que leva a fazer juízos errôneos, sem as devidas distinções e considerações.
No caso da Igreja Católica, considerando o número de fiéis, a média da contribuição individual por fiel pode ser baixíssima. Há que se levar em conta que, no nosso caso, as contribuições são feitas “para a Igreja”, representada também civilmente por entidades e instituições que prestam contas à Receita Federal. A pergunta que fica no ar é se isso acontece com todos os grupos religiosos, ou se as doações acabam beneficiando pessoalmente a quem as recolhe?
Há que se ver, ainda, a aplicação desses recursos e se perceberá qual é o volume de assistência e de benefícios sociais e culturais, e até mesmo de empregos gerados a partir das organizações religiosas. Ninguém imagine que na Igreja Católica, padres, bispos e organizações religiosas não pagam impostos, INSS, contas de água e luz. As isenções previstas em lei são apenas algumas, que não beneficiam pessoalmente as pessoas em serviço nas organizações religiosas, mas essas próprias organizações.
Dizer que as Igrejas recolhem mais de 20 bilhões de reais por ano no Brasil pode representar muito, aos olhos de alguns; mas isso pode representar muito pouco, se formos considerar as coisas mais no detalhe. Em tudo isso, é preciso colocar sempre um sensato e prudente “depende”. O que mais chamou a atenção foi a notícia sobre fortunas individuais e impérios políticos e econômicos organizados, até mesmo em pouco tempo, por líderes religiosos, que transformam a fé e os “serviços religiosos” em “produtos”, oferecendo-os ao público numa lógica capitalista de mercado.
Há, certamente, um problema no ar em relação ao campo religioso brasileiro; esse problema precisa ser enfrentado melhor pelas autoridades competentes. O que sempre foi mais colocado em evidência na opinião pública, até mesmo de maneira superdimensionada, foi a “perda de fiéis” por parte da Igreja Católica, talvez até com o desejo inconfessado de que isso continue a acontecer e que é um bem para o Brasil... A verdade é que essa mobilidade religiosa atinge todas as religiões tradicionais no Brasil e mesmo os grupos surgidos mais recentemente. O que não se aprofundou, a meu ver, foi a reflexão sobre os modos, as implicações e as consequências dessa “mobilidade religiosa”, que agora começam a aparecer.
O “Estado laico” não deve ser um álibi para deixar livre curso à exploração econômica, e em benefício privado, da credulidade e das necessidades religiosas e espirituais dos fiéis, valendo-se dos benefícios que o mesmo Estado reconhece às organizações religiosas. Alguma distorção grave está acontecendo no mundo religioso do Brasil, que terá consequências para a própria identidade cultural do Brasil no futuro próximo. Uma séria reflexão precisa ser feita.
Na Igreja Católica, as doações não são destinadas ao padre ou ao bispo, pessoalmente, mas à paróquia, à diocese, ou a outras instituições, organizações e obras sociais devidamente reconhecidas. Nossas paróquias e instituições religiosas não têm configuração empresarial, voltada para a produtividade e o ganho, mas têm fins religiosos, sociais e culturais, não pertencendo a ninguém em particular. As normas da nossa Igreja prescrevem rigor e transparência no controle e na aplicação dos recursos, bem como na prestação de contas.
Requerem ainda as normas da Igreja que haja Conselhos de Assuntos Econômicos em todas as paróquias e dioceses, com a participação de pessoas idôneas e competentes, para a boa administração dos recursos recolhidos. Todos esses recursos devem ser destinados ao cumprimento da missão da própria Igreja e, jamais, ao benefício pessoal de quem quer que esteja a serviço da Igreja, em qualquer nível, serviço e cargo.
Por delicado que seja, esse tema da exploração mercadológica da religiosidade e da religião carece de uma serena e profunda reflexão, para evitar o risco do descrédito da própria religião, de toda religião.
Publicado em O SÃO PAULO, ed. de 05.02.2013
Arcebispo de São Paulo

QUARTA FEIRA DE CINZAS


 QUARTA FEIRA DE CINZAS

A Quarta-feira de cinzas celebra o início do ano litúrgico que convida os católicos e demais pessoas à conversão de vida e o prepara para o Tríduo Pascal, isto é, para a celebração da Paixão, Morte e Ressureição de Jesus. Bem como a abertura da "Campanha da Fraternidade".
Para lembrar que somos nada perto de Deus e que precisamos dele. Por isso o sacerdote ao impor as cinzas diz: "lembra-te que tu és pó e ao pó voltarás." (Gênesis 3:19)
 O uso de cinzas demonstra também o arrependimento e a humildade. Veja na bíblia que o profeta Daniel usava também cinzas com esse propósito: “Voltei o rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, pano de saco e cinza” (9:3). Ou que Jó mostrou seu arrependimento vestindo-se de saco e cobrindo-se de cinzas (Jó 42,6).

Devemos observar quais são as disposições necessárias para receber as cinzas:

  1. iniciar mudança de vida: abandonar o mal e aderir ao bem;
  2. reconhecer as próprias faltas e arrepender-se;
  3. entrar num processo de conversão, fazendo do dia a dia tempo de nova vida;
  4. comprometer-se com Jesus, tendo-o como Caminho, Verdade e Vida;
  5. praticar o mandamento dos mandamentos:"Amar a Deus e ao próximo";
  6. perdoar para acolher o perdão;
  7. levantar-se após as quedas, pedindo perdão pelos pecados cometidos e perseverando na prática do Evangelho;
  8. trocar a injustiça pela justiça, a mentira pela verdade, o ódio pelo amor.

"NA LUTA PELA PAZ O AMOR É A MELHOR ARMA!!!

PARÓQUIA SÃO FRANCISCO DE ASSIS - JAGUARÉ - SP: HOMILIA PADRE FLÁVIO - 5º DOMINGO DO TEMPO COMUM

PARÓQUIA SÃO FRANCISCO DE ASSIS - JAGUARÉ - SP: HOMILIA PADRE FLÁVIO - 5º DOMINGO DO TEMPO COMUM

HINO OFICIAL DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2013

Quaresma
O lançamento da Campanha da Fraternidade, se dá, ano após ano, desde seu surgimento em 1964, na Quarta-Feira de Cinzas, que marca o início do Tempo da Quaresma, período que antecede e prepara para a festa da Páscoa.
Na Quarta-Feira de Cinzas haverá Missa em todas as Paróquias e Comunidades.
  Durante a Celebração, as cinzas feitas dos ramos de oliveiras ou palmeiras bentos no Domingo de Ramos do ano anterior são impostas na fronte dos cristãos que, assim, expressam seu desejo e votos de assumir o processo de conversão que teve início no Batismo.

Mensagem do Papa
Em sua mensagem para a Quaresma 2013,  “Crer na caridade suscita caridade”, Papa Bento XVI diz que a vida cristã, em sua totalidade, consiste em responder ao amor de Deus. O Santo Padre lembra que, no contexto do Ano da Fé, a Quaresma se faz uma ocasião preciosa para meditar sobre a relação entre fé e caridade.

COMENTÁRIO PADRE DELAIR CUERVA DO DIA 10/02/2013


Façamos a diferença...
Como seria formidável se o mundo fosse diferente...
Temos a eterna mania de jogar esta frase ao léu...
A diferença está dentro de nós... Fazer este mundo mais digno depende de nós... Ele foi criado com todas as coisas perfeitas, mas uma pena que nós o destruímos com tamanha voracidade que quase está destruindo a nós mesmos mediante nossa ambição desmedida por poder... É... O poder esta destruindo o ser!
Estes dias perguntei a um senhor num daqueles leitos do hospital ,onde tenho orgulho de miseravelmente servir, se ele estava bem, mesmo vendo sua situação de sangue saindo e molhando seu pijama hospitalar e o mesmo me olhou profundamente (pensei que receberia aquela resposta enfadonha) e parece que adentrou o fundo de minha alma e respondeu que as coisas vão do jeito que tem que ir e que ele esta fazendo a parte que lhe compete, os médicos aquilo que podem e Deus fazendo, como sempre, o impossível! “Fala sério”, como diz Dona Lázara, nossa sacristã da ASFA em São Paulo... Que resposta verdadeiramente cristã e de quem crê.
Vi, naquela Santa Missa de Terça um jovem com o rosto deformado pela doença, mas que cantava e rezava com a tranquilidade de um garoto e não estava preocupado com os olhares das pessoas e me perguntei o motivo de ele “não estar nem aí” com os “perfeitos” e, ao mesmo tempo, me veio a resposta: ele agia como quem realmente crê e tem que conviver com sua deficiência física e demonstrar ao mundo que se é possível ser como se é no momento que se pode... Não nos cabe somente questionar o mundo e as coisas que nos advém; o que temos é que seguir avante nesta jornada e mostrar que somos pessoas criadas para o eterno e para além deste tempo que passa com a velocidade do movimentar das asas de uma libélula.
Acho demais a eficiência das pessoas ao realizar as coisas a que se propõe; tipo nossa Jackieline que, com maestria, rege as coisas de nossa secretaria da Associação Sagrada Família e atende as pessoas com imenso carinho e sorrisão, mesmo cheia de gripe e se arrastando sabendo que as pessoas não têm nada a ver com seu momento... Isso é formidável! E o susto que dei na Sanai de São Paulo ao dizer que estava irritado com ela, mediante sua eficiência, a pobre, mesmo sendo de origem oriental, quase arregalou os olhos... Mas logo em seguida lhe dissera de sua eficiência e a tranquilidade lhe veio... Temos que ser eficientes naquilo a que nos propomos... Temos que fazer a diferença e não só lançar a culpa nas coisas externas e cruzar os braços diante de tanto por se fazer. Como se não fizéssemos parte desta trajetória aqui na terra... Somos engrenagem, e se uma falha, a máquina toda entrava.
Pra terminar porque não lembrar a presteza da Gilce, de Assis, ao estar disposta a fazer momentos de tranquilidade quando deixa de fazer suas coisas e vai prestar auxilio a outrem e isso a faz tão feliz...
Pra terminar somente quero lembrar que não podemos deixar este tempo passar e deixar, mesmo a lamentar, que as coisas sigam a passar.
Com um beijo de Jesus;
Nosso amigo da cruz...
Pelos lábios de Maria;
Aquela que sorria...
Nos braços de José;
O homem da fé...
Chegue suave em seu coração... Tá certo meu irmão? (e irmã, que é um talismã).... (risos).
Até a próxima...
Pe. DelairCuerva, fmdp